domingo, 12 de dezembro de 2010

Alguns querem mesmo é mudar o mundo com uma caixa de giz, outros apagam o melhor das cores com uma borracha verde, e outros tentam consertar os erros com lápís de pontas tortas. Os materiais foram espalhados, alguns em mãos erradas, mas quando temos os materiaos certos, um mundo a gente consegue compreender, o nosso, e lutamos para tornar compreencivel, usamos mesmo todas as ferramentas, mas ás vezes sem querer deixamos cair uma gota de tinta na camisa e nos tornamos compreenciveis, pelomenos para quem gosta de tintas em camisas.

2 Diga lá::

Selenita disse...

Muuuito bom, Filipe. Eu senti esse poea, e nem consigo explicá-lo, eu apenas senti, e senti como quem sente o mundo ao olhá-lo pela primeira vez, eu tive o pasmo essencial que tem uma criança aoolharo mundo pela primeira vez. E issobasta, eu também já sujei a camisa! ;)

Amanda disse...

a d o r e i, simples, objetiva, sensivel, e bonitaaa!

Postar um comentário