quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Demorei para fazer um poema.


Pensar na confusão da mente, ou do coração.
Não há razão que compreenda;
a carne, o osso, a alma, os ritmos, a música.

Acontece que talvez ainda ame,
ou tenha amado verdadeiramente,
e o que sinto agora é só um resquício,
que parece ser grande.
Sinto saudades e necessito de ternura,
ternura completa, sem compaixão,
não quero nada fácil,
quero coisas absolutas.

23 Diga lá::

krika disse...

Eu também quero coisas absolutamente plenas...Gostei do texto, muito bom.

paz e bem
www.preteritosmatinais.blogspot.com

Jordana Sousa disse...

Repito, eu assino aqui em baixo, só pra dizer q seu poema tem tudo a ver comigo! ^^

Parabéns Lipe.

hrdoblush disse...

muito bom:)

http://www.hrdoblush.com/

pris disse...

Bravooooooooooooo

Tati disse...

Filipe, que coisa boa a sua mensagem lá no De Analgésicos & Opioides... de vez em quando a gente encontra algumas palavras dispostas a dizer além de monossílabas e aí a gente lembra o pq escreve... o pq publica, sem pudores, o que às vezes parece ficção e o que é ficção de fato.

Quanto ao seu post, uma intromissão minha: sentimento absoluto é aquele que a gente sente. Sentimento relativo é o que o outro entende. E ternura, bem... ternura é de completar qualquer espaço de sorrisos!

Vou ler outros posts seus =)

Sandro Mangueirense disse...

Nossa! "Não quero nada fácil, quero coisas absolutas" é simplesmente avassalador! Ternura, afeto, porém com a dose certa de força e verdade!

Muito bom!

http://estacaoprimeiradosamba.blogspot.com/

Venusiano Ramos disse...

Parabéns pelo blog...

Segue e deixa um comentério que eu sigo de volta!!!!

http://espacoparaumavidasaudavel.blogspot.com/

Abração...

MARCO disse...

muito bom o poema, daria para escrever um livro

http://rocknrollpost.blogspot.com/

Ivy Timo Rocha disse...

Filipe estou impressionada com a tua visão sobre o amor. Demorou pra sair as palavras, contudo depois de soltas você me arrancou suspiros. beijos e bom fim de semana.

Kiko Lemos disse...

Buscamos coisas plenas em nossas vidas, as vezes nem sempre lineares que nos leva por caminhos complexos, mas que no final sempre têm um unico objetivo, viver.

Karla Hack dos Santos disse...

Não consigo lembrar da ultima vez algo absoluto, sem restrições...
acho que também estou em clima de procurar uma ternura absurda e total!

Lindo!

;D

Karla Hack dos Santos disse...

Já falei que adoro sua forma de escrever?
Não consigo lembrar de ninguém que me remeta a vc... Acho seu estilo é bem particular!

;D

Pedro Sombra disse...

Acho que todos nós, em nosso íntimo, procuramos isso. Ter alguém ao lado por pura compaixão, por ser digno de pena, só traz a infelicidade. E por vezes isso acontece, e nos acostumamos, e vivemos assim, e desperdiçamos nossas vidas pela simples comodidade de ter alguém ao lado.

Anderson disse...

Palmas,Palmas
sucesso para seu blog
amei
so senti falta de um plano de fundo
Rrs

M.M. disse...

Adorei. Me vi no poema, de verdade.

BLoG do CHARQuE disse...

Quase choreiiii... mentira!


http://blogdocharque.com/

Blog UaiMeu! disse...

Bonito poema de amor parabéns

Ricky Oz disse...

Muito legal, mandou bem de novo ^^)

Siga e comente o blog:
http://rickyoz.blogspot.com/

Wilma Araújo disse...

Que texto doce!

Amores absolutos, quem não os deseja?

Arash Gitzcam disse...

ritmos podem ser alucinantes...

VALDEIR MK disse...

Legal esse poema, também gosto de escrever mas ás vezes me enrolo com as letras, mas ainda assim acho legal, mesmo que seja complicado.

me segue aí:
http://valdeirshow2010.blogspot.com/

Arash Gitzcam disse...

ternura e docilidade...

AMOR A GENTE NÃO ESQUECE disse...

É UM POEMA QUE FAZ COMPLETAR OS SENTIMENTOS
DANDO AO CORAÇÃO UM ALENTO

Postar um comentário