terça-feira, 13 de novembro de 2012

Lorca e a Senhora

Pelo que notei ou ando notando (ainda não descobri se conclui minhas observações ou não) há esperanças e pedidos de Amor, humildade, compaixão, afeto, tolerância entre outros sentimentos que, como dizem, fazem falta para a Humanidade, que estamos perdendo nossas características afetivas de contato. São todos os tipos de escritas existentes indagando tais sentimentos e afetos, revolucionando com todas as forças e capacidades literárias que devemos respeitar uns aos outros. Filosofia, literatura, teorias sobre a complexidade do pensamento que é gerado com mais de nove meses, anos ou décadas não coexistem com a realidade, pois nas ruas, nos bares, em esquinas dobradas de adeus e despedidas mal feitas, existe a filosofia do dar a rasteira antes que te derrubem.

Depois da introdução reflexiva acima, o desenvolvimento: ontem, ao ler Lorca nos trens de São Paulo somado com uma mulher que reclamava efusivamente de que ninguém se importava com ninguém, que todo ser humano é egoísta, que melhor é nascer como gato. Para depois concluir: “esse monte de bandido aí, tinha que morrer tudo, pelo amor de Deus” enquanto isso o Frederico dizia os meus olhos: “Ai, voz secreta do amor escuro!\Ai, balido sem lãs! Ai, ferida!\Ai, agulha de mel, camélia caída!\Ai, corrente sem mar, cidade sem muro!”

Leitura interrompida pelo pensamento confuso: o Amor nos versos, assassinato do autor, a raiva contra os bandidos, a indignação por ninguém se importar, o que levou aquela senhora a isso? Com quem ela se importa?

Perguntei-me, depois, se há mais Amor nos versos do que nos poetas que os versificam ou diversificam, dependendo muito da variável poeta\poesia\leitor.

E para concluir, um verso que li certa vez em um quarto de hotel: “O mágico queria descobrir o segredo do Amor\Desistiu ao entrar no banco e ser assaltado”

6 Diga lá::

Marco disse...

ficou muito bom o texto.

lipearaujo disse...

Realmente algo a se pensar.. existe mais amor no texto do que no autor? Acho que sim.. no texto o autor pode extravasar e colocar pra fora emoções que não fazem parte de seu cotidiano..

santofigueiredo disse...

Muito bom Felipe. Fazia tempo que não lia seu blog. Agora eu voltei. :)
abraço!

Cafajeste Sedentario disse...

Muito bom o texto mesmo,boa reflexão :)

Daniele S. disse...

Todo mundo quer amor, paz, compreensão... mas só vindo dos outros e pra si mesmo, acho que é isso,a gente discursa demais e pratica de menos.Mas os bandidos têm que pagar mesmo!

Marijleite disse...

Pra mudar o mundo a gente tem que dar o primeiro passo, se quer mais amor e compreensão, ame e compreenda e não apenas diga o que quer. Ótimo texto.
petalasdeliberdade.blogspot.com

Postar um comentário